AMOR DE CALOURO

AMOR DE CALOURO
.
Que o meu silêncio fale-te ao ouvido,
que diga quanto te amo, assim calouro,
que só me transfiguro em luz, em ouro,
e em sonhos vivo apenas sem sentido.
Que seja canto tudo o que é um latido,
que às rosas cantem aves, duradouro,
que cuidarei melhor do que um tesouro
deste dom que me deu o gentil Cupido.
.
Ai, amor, me percebo ilusionado!
De grão em grão, no campo, semeemos:
mil prantos, cem suspiros, dez risinhos.
.
Ai, amor, me percebo enamorado!
Voltemos de mãos dadas, e juntemos:
mil abraços, cem beijos, dez carinhos.
.
Osfelip Bazant

Soneto Amor de calouro. Os sonetos de Osfelip Bazant
Anuncio publicitario